Brasil anos 60 e 70

                                               CRISE

De 1956 a 1961 Juscelino Kubitschek governou o Brasil e foi a época em que o crescimento econômico, o PIB cresceu em média 7% ano ano, enquanto a taxa per capita aumentou  num ritmo quatro vezes maior que no restante da América Latina. Tal situação reflete as prioridades daquele governo no desenvolvimento econômico-industrial do país.Foi então que a industria desenvolveu-se e a capital do Brasil foi levada para o centro do país, com a construção de Brasília.

A dívida externa brasileira cresceu enormemente nos anos JK. O problema estava no fato de as exportações não haverem crescido na mesma proporção de endividamento, com os preços do café, ainda a principal fonte de divisas na época, registrando queda no final da década de 1950. Para administrar esse problema, Juscelino realizava Novos empréstimos no exterior. Mas, no final do seu governo esse capital começava a escassear, ou pelo menos não existia no volume necessário. Em 1958, o governo lançou um plano de estabilização da economia, que incluía o combate à sempre crescente inflação. O plano previa um empréstimo norte-americano de 300 milhões de dólares, mas o governo dos EUA condicionou a liberaçãodessa soma à aprovação do Fundo Monetário Internacional(FMI).

Atingindo a década de 1960, o Brasil alcançou patamares de desenvolvimento econômico expressivos que se contratavam com os problemas sociais. O desenvolvimentismo era falho, atingia apenas algumas parcelas da população e desenhava uma concentração de riquezas que não poderia ser mais protelada pelas ações conciliatórias do populismo. Passado o arroubo do breve governo de Jânio Quadros (1961), o populismo teve sua última representação no governo de João Goulart.

Antes de assumir o governo, Jango teve de aceitar as exigências dos militares que não admitiam a sua chegada ao governo. Submetido às limitações do parlamentarismo, ele seria previamente impedido de reavivar o populismo nacionalista. Entretanto, em 1963, conseguiu a aprovação de um plebiscito que reestruturou o presidencialismo e, consequentemente, fortaleceu a ação do poder Executivo. Nesse momento, João Goulart ofereceu ao país um conjunto de mudanças previstas pelas Reformas de Base.

Conquistando o rápido apoio de líderes sindicais, nacionalistas e partidos políticos de esquerda, João Goulart não teve mais condições de assumir o comportamento dúbio que marcava o populismo. Já nesse instante, os grupos de tendência conservadora se mostraram desconfiados com os projetos sociais das Reformas de Base. Com isso, em 31 de março de 1964, os militares se lançaram às armas e golpearam de uma vez só a democracia e o populismo no Brasil. Começa então, a ditadura militar que tinha como principais características a cassação de direitos políticos de opostitores, a repressão aos movimentos sociais e manifestações de oposição, a censura aos meios de comunicação e aos artistas, aproximação dos EUA(controle dos sindicatos), implantação do bipartidarismo: ARENA(governo) e MDB(oposição controlada), enfrentamento militar dos movimentos de guerrilha contrários ao regime militar, uso de métodos violento, inclusive tortura contra os opositores ao regime, milagre econômico: forte crescimento da economia com altos investimentos em infra-estrutura. Aumento da dívida externa.

                     

                                       REVOLUÇÃO

No Brasil,os anos de 60 e 70 foram reconhecidos como anos de mudanças, as quais promoveram transformações na estrutura da produção e da sociedade, nos comportamentos políticos e nas manifestações culturais. Lutava-se contra o regime de ditadura militar implantada em 1964, contra a reforma educacional, o que mais tarde provocou o fechamento do Congresso e na decretação do Ato Institucional nº 5.

Além disso, o país foi palco de grande “expansão da massificação das informações e dos padrões de comportamento de consumo. Nos meios de comunicação a televisão foi o principal veículo que penetrou de forma incomparável numa década em que as redes de telecomunicações atingiram distantes regiões do país. Ela generalizou-se em todas as camadas sociais. A informação era dominada pelo rádio e pela televisão que influenciou diretamente na transformação dos costumes.Esse papel tornava-se importante pelo fato de transmitir em cores, ao vivo, partindo de São Paulo – Rio de Janeiro “os últimos ditames da moda, as discotecas, o culto ao corpo e a valorização dos padrões de beleza, a exaltação do individualismo e do consumismo.”        

                                        GUERRILHA

Consiste a guerrilha numa tática militar de hostilização contínua do inimigo, quase sempre exércitos regulares de um regime que se pretende depor ou com objetivos independentes. A guerrilha é formada por unidades não regulares, isto é, de tipo paramilitar ou rebelde, e atua através de rápidos e de surpresa, além de operações de destruição de pontos estratégicos De recordar que os exércitos regulares efetuam também este tipo de operações, pelos chamados “comandos”, mas desta feita enquadrados em exércitos regulares.

ALGUNS GRUPOS GUERRILHEIROS

 Partido Comunista do Brasil (1962)
Primeira dissidência do PCB contrária à linha pacifista. Foi o único grupo a realizar ações de guerrilha rural no país. Entre 1972 e 1974, cerca de 70 combatentes enfrentaram até 20 mil soldados na Guerrilha do Araguaia. Os principais nomes eram Pedro Pomar e João Amazonas e tinha cerca de 300 militantes.

Movimento Nacionalista Revolucionário (1964–1967)
Bem articulado e estruturado em 1964, era o grupo que os militares mais temiam nos primeiros anos após o golpe.Tinha apoio de Cuba – Fidel Castro acreditava que o MNR faria a revolução socialista no Brasil. Tinha como principal nome Leonel Brizola e possuia cerca de 100 militantes.

Ação Popular (1962–1973)                                                            Formada por militantes de esquerda ligados à Juventude Católica e com forte adesão dentro do movimento estudantil, apoiava as reformas de base e as lutas trabalhistas. Alguns religiosos ligados à AP cediam os mosteiros para as reuniões clandestinas dos grupos guerrilheiros. Os rincipais nomes eram  José Serra e Herbert de Souza (Betinho) e tinha cerca de 400 militantes.

Política Operária (1961-1967)
Uma das matrizes da esquerda brasileira, foi o primeiro agrupamento a se organizar como alternativa partidária ao PCB. Dava mais importância ao debate teórico e doutrinário do que à ação armada.Principais nomes: Emir Sader, Nilmário Miranda e Carlos Tibúrcio. Cerca de 100 militantes.

 Movimento Revolucionário 8 de Outubro (1966)
Serviu de abrigo a grupos menores, como a Dissidência da Guanabara, formada pelos estudantes que tiveram a idéia de seqüestrar diplomatas estrangeiros. A ação de maior sucesso envolveu o embaixador americano Charles Elbrick.
Principais nomes: Franklin Martins e FernandoGabeira. Cerca de 100 militantes

 Ação Libertadora Nacional (1968–1974):
Estudantes universitários e ex-militantes do PCB formaram a organização mais ativa entre as que atuavam na guerrilha urbana. Suas principais ações incluíram o comando do seqüestro do embaixador dos EUA, ao lado do MR-8.
Principais nomes: Carlos Marighela, José Dirceu e Frei Beto.
Militantes: Cerca de 250.

 
Partido Comunista Brasileiro Revolucionário (1968–1970)
Inspirado nos ideais do líder chinês Mao Tsé-tung, era formado por ex-dirigentes do PCB que acreditavam na guerrilha rural. A organização, porém, praticou apenas ações urbanas voltadas à divulgação dos ideais comunistas.
Principais nomes: Mário Alves e Jacob Gorender. Cerca de 100 militantes.

                                              TROPICÁLIA

A tropicália, surgiu no Brasil no final da década de 60 e foi um dos movimentos artísticos mais importantes dessa época, tendo sido interpretada como uma contestação radical às oposições de esquerda, que neste período exerciam forte influência sobre a produção cultural. O marco inicial foi o Festival de Música Popular realizado em 1967 pela TV Record. O tropicalismo teve uma grande influência da cultura pop brasileira e internacional e de correntes de vanguarda como, por exemplo,o concretismo. O tropicalismo, foi inovador ao mesclar aspectos tradicionais da cultura nacional com inovações estéticas como, por exemplo, a pop art e em possibilitar um sincretismo entre vários estilos musicais como, rock, bossa nova, baião, samba, bolero, entre outros.
As letras das músicas possuíam um tom poético, elaborando críticas sociais e abordando temas do cotidiano de uma forma inovadora e criativa.

O movimento tropicalista não possui como objetivo principal utilizar a música como “arma” de combate político à ditadura militar que vigorava no Brasil. Por este motivo, foi muito criticado por aqueles que defendiam as músicas de protesto. Os tropicalistas acreditavam que a inovação estética musical já era uma forma revolucionária.

Uma outra crítica que os tropicalistas receberam foi o uso de guitarras elétricas em suas músicas. Muitos músicos tradicionais e nacionalistas, acreditavam que esta era uma forte influência da cultura pop-rock americana e que prejudicava a música brasileira, denotando uma influência estrangeira não positiva.

- Os principais representantes do tropicalismo foram:

Caetano Veloso, Gilberto Gil, Os Mutantes, Torquato Neto, Tom Zé, Jorge Bem, Gal Gosta, Maria Bethânia.

- Os discos tropicalistas que mais fizeram sucesso:

- TROPICÁLIA ou PANIS ET CIRCENCIS – 1968 – Mutantes         -CAETANO VELOSO – 1968
- LOUVAÇÃO – 1967 – Gilberto Gil
- A BANDA TROPICALISTA DO DUPRAT – 1968 – Rogério Duprat

- Músicas tropicalistas que fizeram sucesso:

- Tropicália (Caetano Veloso, 1968)
- Alegria, Alegria (Caetano Veloso, 1968) 
- Panis et circencis (Gilberto Gil e Caetano Veloso, 1968)
- Atrás do trio elétrico, (Caetano Veloso, 1969)
- Cadê Teresa (Jorge Bem, 1969)
- Aquele abraço (Gilberto Gil, 1969)

                                        FUTEBOL

Década de 60

No ano de 1962, foi realizada no Chile a Copa do Mundo de Futebol, onde o Brasil conquistou a taça Jules Rimet e tornou-se bicampeão mundial. Nessa época, a seleção brasileira era composta por jogadores como Garrincha, Pelé, Didi, Djalma, Nilton Santos, Vavá, Zito enter outros. Nessa época, a Copa vista pelos brasileiros em videoteipe, as fitas chegavam de avião e eram exibidas nos dias seguintes aos jogos, Já no ano de 1966, o evento ocorreu na Inglaterra, onde a anfitriã acabou sendo a campeã.

Década de 70

A Copa do Mundo FIFA de 1970, a 9ª edição do torneio, foi disputada no México, de 31 de Maio até 21 de Junho. A mascote oficial da Copa do Mundo foi Juanito, um garoto vestindo o uniforme da seleção mexicana e um sombrero.

A Copa de 1970 foi, como de costume, precedida por disputas sobre sua organização. Esta foi a primeira a ser televisionada em cores. Porém, para que as transmissões se encaixassem melhor nas programações da televisão européia, algumas partidas começaram ao meio-dia, decisão esta que desagradou muitos jogadores e treinadores, por causa do intenso calor no México neste período do dia

Considerada por muitos a melhor seleção de todos os tempos, a equipe brasileira que conquistou o tri na Copa de 70 reuniu uma verdadeira constelação. Em campo, craques como Tostão, Rivellino, Gérson, Carlos Alberto Torres e Jairzinho, eram os coadjuvantes da estrela maior: Pelé. Com um futebol ofensivo, belo e eficiente, o Brasil encantou o mundo e garantiu o título com autoridade.

Durante a Copa do Mundo de 70, o povo comemorava o TRI e a vibração de cada gol, ocultava os gritos de dor dos presos políticos… A Copa de 70 serviu para anestesiar o povo brasileiro e enquanto isso
os militares se sentiam mais livres para produzirem suas maldades.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s